Sobre este blog

Ser mestre é ser um semeador; não qualquer um deles, entretanto, aquele semeador que não escolhe o solo em que vai lançar sua semente e que não se queixa ou questiona se o solo é seco, árido ou fértil, porque o essencial é semear...



13 de mar de 2014

Uma palavra

Caros alunos da Escola Casimiro de Abreu:

Gostei de ver sua participação em nosso primeiro debate sobre o tema em que será elaborada a dissertação argumentativa desse bimestre: A invenção do telefone.
Espero que tenham aproveitado todos os diálogos, inclusive o que se deve apreender de um texto oral ou escrito.
Vocês devem ter percebido o quanto essa discussão é importante para que tenhamos novas ideias sobre o que escrever, para que conheçamos diferentes opiniões e conclusões sobre qualquer assunto, além do fato de adquirirmos conhecimento, cultura através das informações que lemos. Sem este procedimento, certamente não seria possível construir um bom texto, pois não teríamos a base necessária para dissertarmos sobre o assunto, não é à toa que em todas as avaliações externas que fazem, há sempre textos que antecedem as propostas para que esse embasamento seja feito.
Quanto à estrutura do texto dissertativo-argumentativo, eis aqui algumas dicas de como devem construí-lo e, se possível, imprimam para que tenham em mãos de forma mais explícita as regras que devem seguir.

TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO


É aquele cuja criação é alcançada plenamente quando há um relativo domínio da leitura e da escrita, necessita de leitura de base para que se tenha conhecimento do tema (assunto) sobre o qual se vai escrever. Após a leitura, deve-se buscar uma linha de raciocínio sobre a matéria em questão procurando aspectos positivos, negativos sobre o tema versado. Além disso, não podemos nos esquecer de que precisamos ter à mão conhecimentos das diversas áreas de estudo.
A estrutura deste tipo de texto consiste em uma Introdução, chamada de tese, onde o assunto é lançado. Agora no início, não deve ser longa, procurem escrever três linhas aproximadamente.
Falemos agora a respeito do Desenvolvimento, o corpo do texto, talvez, a parte mais complexa que exige toda a sorte de informações possíveis aliadas a um questionamento e argumentação lógicos embasados na ética, redigidos em padrão formal de linguagem com clareza, objetividade e limpeza (obediência a mecanismos e convenções da escrita).
Nesse ponto da redação, é que tomamos a consciência de quão importantes são todas as disciplinas do nosso currículo, visto que nele devemos depositar toda a sorte de informações de variadas ciências: artes, filosofia, geografia, história entre outras. Porém, esse gênero nos cobra muito mais do que apenas cultura, conhecimento; ele requer princípios ético-morais na solução da questão apresentada, argumentação, contestação entre outras ações. Tudo isso, aliado à uma correção gramatical impecável num padrão de linguagem que nos custa muito alcançar só através de muita leitura e treino em escrever.
Antes de tudo, como já citei, é necessário muita leitura de base, estudo de ciências variadas e sobretudo respeito a uma proposta oferecida em forma de textos que podem ser verbais e não verbais sem, contudo, deixar transparecer explicitamente a própria  opinião em frases do tipo: "eu acho", "eu penso". "na minha opinião"trazendo verbos na primeira pessoa do singular que por motivos éticos não devem prevalecer no gênero argumentativo.
A terceira e última parte do texto é a Conclusão e esta também não merece pouca atenção da nossa parte; deve-se encerrar com chave de ouro resolvendo com habilidade a questão (tese) apresentada na Introdução oferecendo, desta forma, uma solução que demonstre um caráter ético ( que não fira os direitos humanos) acima de tudo.
E boa-sorte em suas avaliações e em sua vida, leiam bastante, discutam, participem de  questões pertinentes à sociedade e tenham certeza de que essa sorte virá.
Breve, postarei um texto sobre esse tema que escreveram para que tenham uma noção exata do que deve e o que não deve ser feito.
Minha última postagem no blog de textos é uma crônica que fiz por ocasião do aniversário de morte de meu pai no dia 12 de março próximo passado. Se quiserem ler, fiquem à vontade, é só clicar no link abaixo. Ah! e esse texto tem um fundo musical que faz parte dele, é só clicar no botão bem acima do cabeçalho do blog em cor roxa. Até mais!
litteraeart.blogspot.com