Sobre este blog

Ser mestre é ser um semeador; não qualquer um deles, entretanto, aquele semeador que não escolhe o solo em que vai lançar sua semente e que não se queixa ou questiona se o solo é seco, árido ou fértil, porque o essencial é semear...



1 de out de 2013

ESTUDAR É UMA QUESTÃO DE ATITUDE

Prezados alunos da Escola Professor Joaquim Leme do Prado:


Antes de continuar com a postagem sobre o texto de opinião iniciado anteriormente, quero aqui deixar algumas considerações sobre o subprojeto de nossa escola: Leme Africanidades, cuja apresentação acontecerá nos dias 18 e 19 deste mês. 
Muitos não dão a importância necessária ao desenvolvimento de trabalhos desse tipo por muitos motivos, entretanto, o principal deles é a predisposição a estudar, a pesquisar e a se apresentar em público. Este último depende de muitos fatores e nem todos se sentirão confortáveis nesse aspecto, sabemos que o bullying (a falta de comportamento ético por parte da sociedade) tem favorecido esta atitude de fuga. A respeito desse assunto ética, postei hoje um artigo no outro blog cujo link escrevo abaixo:
Outros de vocês que estudam no período noturno usam o subterfúgio do trabalho para eximirem-se de responsabilidades o que não está correto. Devem ter em mente que o desenvolvimento satisfatório  nos estudos está diretamente ligado ao sucesso no campo profissional. Assim, se não há a atitude ao estudo, nada se consegue em questões monetárias e realização pessoal. Especialmente a vocês, alunos do curso noturno, peço que participem pelo menos das pesquisas sobre o tema, uma vez que terão que apresentar um trabalho nesse sentido nos dias acima citados. Garanto-lhes que apenas acrescentarão ao seu currículo com essa atitude positiva em relação ao estudo e consequentemente ao trabalho. Existem inúmeras formas de participação nesse projeto e o dever de todos é se inteirarem sobre ele.
Parabéns àqueles que já estão trabalhando para apresentar um bom trabalho, da mesma forma àqueles que compartilham das informações aqui postadas e fica o convite  àqueles que ainda não o fazem, não desenvolveram ainda o gosto pela leitura e participação em assuntos relevantes à sociedade. 


CONTINUAÇÃO DAS CONSIDERAÇÕES SOBRE TEXTOS ARGUMENTATIVOS

Paramos na Introdução, a primeira parte de um texto deste tipo onde a sua tese foi lançada.
Falemos agora a respeito do Desenvolvimento, o corpo do texto, talvez a parte mais complexa que exige toda a sorte de informações possíveis aliadas a um questionamento e argumentação lógicos embasados na ética, redigidos em padrão formal de linguagem com clareza, objetividade e limpeza (obediência a mecanismos e convenções da escrita).
Nesse ponto da redação é que tomamos a consciência de quão importantes são todas as disciplinas do nosso currículo, visto que nele devemos depositar toda a sorte de informações de variadas ciências: artes, filosofia, geografia, história entre outras. Porém, esse gênero nos cobra muito mais do que apenas cultura, conhecimento, ele requer princípios ético-morais na solução da questão apresentada, argumentação, contestação entre outras ações. Tudo isso, aliado à uma correção gramatical impecável num padrão de linguagem que nos custa muito alcançar.
Antes de tudo, como já citei, é necessário muita leitura de base, estudo de ciências variadas e sobretudo respeito a uma proposta oferecida em forma de textos que podem ser verbais e não verbais sem, contudo, deixar transparecer explicitamente a própria  opinião em frases do tipo: "eu acho", "eu penso". "na minha opinião"trazendo verbos na primeira pessoa do singular que por motivos éticos não devem prevalecer no gênero argumentativo.

CONCLUSÃO

A última parte não merece pouca atenção da nossa parte; deve-se encerrar com chave de ouro resolvendo com habilidade a questão (tese) apresentada na Introdução apresentando  desta forma, uma solução que demonstre um caráter ético acima de tudo.
E boa-sorte em suas avaliações e em sua vida, leiam bastante, discutam, participem de  questões pertinentes à sociedade e tenham certeza de que essa sorte virá.